Seja mais um amigo!

Visitem!

Veja outros bons posts deste blog!

(se quiser, clique na imagem e para ver mais, na nova página, carregue no botão F5 para actualizar)

terça-feira, 30 de outubro de 2007

Já temos ponte!

Olá a todos. Pois é aqui, neste blog, os textos podem surgir a qualquer altura (desde que eu tenha tempo para os colocar). Bem, depois desta novidade, gostava hoje de falar de um acontecimento marcante e que demonstra que afinal também se fazem grandes obras (ou reconstruções de grandes obras, como preferirem), neste País. Pois é parece, que reabriu a ponte Eiffel (se reabriu foi, porque esteve fechada, creio eu). Até aqui tudo bem. Logo pelo nome da ponte fica a perceber-se que é uma estrutura importante. O ministro das Obras Públicas garante que, com o investimento de 12,4 milhões de euros, a ponte Eiffel durará «mais de 100 anos» em resultado das intervenções de recuperação do tabuleiro rodoviário e reforço dos pilares. Ena pá, mais de cem anos, ainda bem e eu a pensar que daqui por dois ou três anitos já precisava de obras (assim fico mais descasado). Esta ponte, estava fechada desde o dia 1 de Fevereiro de 2006 e agora o ministro sublinhou que, com estas empreitadas, aquela centenária (o homem deve gostar do número 100) travessia fica «completamente segura» (o quê?!), bem não me digas que as pessoas e os carros andaram a passar lá em cima com a ponte sem segurança (olha que isto, realmente). As obras deveriam apenas demorar seis meses, mas surgiram algumas complicações (as coisas do costume). «Acabou por ser um processo conduzido com bastante rapidez e com todo o rigor», disse ainda o ministro, adiantando que, caso não se fizesse a obra, «em pouco tempo não mais havia ponte» (obrigado pelo aviso, agora tenho, quase, a certeza de que aquilo estava mesmo degradado). Os 21 meses em que o tabuleiro rodoviário esteve encerrado significaram um «calvário» para os moradores nas freguesias da margem esquerda (olha, mas o processo não tinha sido conduzido com grande rapidez?!), só mais um pequeno pormenor, os custos da intervenção também sofreram uma derrapagem, subindo de cinco milhões de euros para 8,6 milhões (com todo o rigor?!). Pronto cada um fica naquilo que lhe parece (a mim parece-me que alguém está um pouco confuso). Segundo números da Comissão de Utentes da ponte, os 12.500 automobilistas que utilizavam, diariamente, aquela centenária travessia para fazer a ligação entre Darque e Viana do Castelo terão gasto cerca de seis milhões de euros «a mais» só em combustíveis (mas, eu acho, que a gasolina não está propriamente barata). Bem, mas o que importa é que a ponte abriu (até ver) e deve durar muitos anos (vamos lá ver é se os utentes, que utilizam a ponte, ficam felizes para sempre).

Nota: Importa deixar algumas informações que considero úteis (ou pelo menos parecem), a saber: a ponte metálica de Viana do Castelo tem 129 anos e em 2003 a Ordem dos Engenheiros distinguiu a sua reabilitação como uma das «100 obras de engenharia civil mais notáveis construídas no século XX» (eles gostam mesmo do número 100). Foi concebida pelo francês Gustave Eiffel e inaugurada oficialmente a 30 de Junho de 1878. (Para todos, um bom dia).

3 comentários:

Sandman disse...

Sugestões é com "g".

Sandman disse...

Ora ora, Ricardo, não percebo porque motivo foste deixar uma crítica ao meu blog e não a assinaste! Tiveste vergonha?

Cada um tem o direito de gostar do que gosta, não é verdade? Naturalmente que se não gostas do meu blog tens todo o direito a te manifestares. Podias era desenvolver um par de tomatitos, mesmo que sejam daqueles pequeninos, e ter a coragem de assinar as mensagens que deixas, não é?

:)

Não ligues, estou a brincar contigo. Continua o bom trabalho.

:)

morabeza disse...

eu sou da margem esquerda (darque) e posso garantir que aquela ponte nao vai durar muito

alem de estar fechada quase dois anos, de ano a ano tem sido feitas obras no pavimento (não sei que material é aquilo que gela completamente com um pouco de orvalho, e depois nao se pode usar sal nem areia porque estraga, e tem de se conduzir em cima de gelo, além de que nas inclinações o pavimento "escorre" digamos, notando-se falhas estranhas).

só este ano a ponte ja teve duas vezes pavimento novo, e agora estão a reforçar os pilares, porque segundo me disse um operário da obra, numa conversa informal, dois dos quatro pilares do rio estão assentes basicamente em água, porque durante anos tiraram de lá areia

e agora pergunto-me, além dos 8 virgula qualquer coisa milhoes, quanto já nao terá sido gasto em obras naquela ponte? e agora com as portagens na A28 a unica alternativa é aquela ponte, portanto é transito como nunca visto, finalizo com "aceitam-se apostas pra possiveis datas de acidentes trágicos na ponte eiffel" (embora eu a atravesse cerca de 4 vezes ao dia, duas delas a pé, sei que mais tarde ou mais cedo terei problemas

Blog Widget by LinkWithin